Menu

Uniarp apresenta Grupo de Apoio às Pessoas com Parkinson

16 MAR 2017
16 de Março de 2017

A UNIARP, através do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Estudos em Saúde (GIES) realizou nesta terça-feira (14) apresentação oficial do Grupo de Apoio às Pessoas com Parkinson. Na ocasião foi realizada palestra sobre o mal de Parkinson, ministrada pelo médico neurologista Nabil Elias Bitta

A mesa dos trabalhos contou com a presença do professor Paulo Cezar Campos, vice-Reitor Acadêmico e de Administração, professor Ezequiel Theodoro da Silva, coordenador Programa de Mestrado e da professora Sandra Elisa Muncinelli, coordenadora do Programa de Atendimento a Pessoa com Deficiência da UNIARP.

A comissão organizadora é composta pelos professores: Dayane Carla Borille, Ezequiel Theodoro da Silva, Gabriela Frigoto, Jaquiéli Thibes de Barros, Joice Débora Ribeiro, Kleber Prado Filho, Ricelli Endrigo Ruppel da Rocha, Sandra Elisa Muncinelli e Vanessa Bittencourt Chaves.

Mais conhecimento sobre a doença

Entre os objetivos do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Estudos em Saúde - GIES está a realização de um levantamento e mapeamento dos indivíduos com Parkinson no município de Caçador e cidades circunvizinhas, além de promover eventos de natureza pedagógica, vinculados à educação, medicina e fisioterapia, que sirvam como orientação ao grupo de parkinsonianos, inclusive divulgando descobertas científicas feitas na área e também promover estudos e pesquisas que sirvam como subsídios para o aprofundamento dos conhecimentos a respeito da problemática relacionada ao mal de Parkinson na região. As informações são veiculadas no blog http://grappcacador.blogspot.com.br/

Saiba mais

A doença de Parkinson é uma enfermidade que foi descrita pela primeira vez em 1817, pelo médico inglês James Parkinson. É uma doença neurológica, que afeta os movimentos da pessoa. Causa tremores, lentidão de movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio além de alterações na fala e na escrita.

Não é uma doença fatal, nem contagiosa, não afeta a memória ou a capacidade intelectual do parkinsoniano. Também não há evidências de que seja hereditária. Apesar dos avanços científicos, ainda continua incurável, é progressiva (variável em cada paciente) e a sua causa ainda continua desconhecida até hoje.

A Doença de Parkinson resulta da degeneração das células situadas numa região do cérebro. Essas células produzem uma substância chamada dopamina, que conduz as correntes nervosas (neurotransmissores) ao corpo. A falta ou diminuição da dopamina afeta os movimentos do paciente, provocando os sintomas indicados. Fonte: Associação Parkinson Brasil.

Postado por Paulo Silva.
Fonte Caçador Online.

Voltar
Tenha você também a sua rádio